Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As coisas de que eu gosto! e as outras...

Bem-vind' ao meu espaço! Sou uma colectora de momentos e saberes.

As coisas de que eu gosto! e as outras...

09.09.21

Vila do Outeiro, Bragança @ Lendas de Portugal - Cristo suou sangue

Miluem

BasilicaOuteiro-CMBraganca-d.jpg

Basílica Santo Cristo de Outeiro

 

Cristo suou sangue

 

A capela esteve lançada ao abandono, desprezada e ofendida, servindo até para os rebanhos da terra aí pernoitarem.

 

Nesta situação esteve cerca de 30 anos, durante as Guerras da Independência.

 

Significa que a Santíssima Imagem de Santo Cristo fora esquecida chegando-se mesmo a deixar de celebrar missas, tendo ainda sido roubados as adornos cerimoniais, deixando o crucifixo cheio de pó e de aranhas.

 

unnamed.jpg

 

A partir de 26 de Abril de 1698 tudo viria a mudar.

 

Uma visão de um padre Carmelita, de nome Fr. Luís de Sousa Joseph, durante celebração da Eucaristia, iria reactivar a devoção ao Cristo abandonado naquela pequena Capela.

 

O Padre Carmelita viu o Cristo da Capelinha «Suar gotas de sangue e água», fenómeno observado ainda por um irmão do Frei Luís de Sousa, de nome António Moreira da Cunha.

 

O milagre seria ainda visto por pessoas da Vila de Outeiro que participavam naquela celebração.

 

Esteve oito dias a pingar sobre as toalhas do altar.

 

A notícia brevemente se espalhou por toda a Diocese de Miranda chegando a Braga e às regiões da Galiza e de Castela e Leão.

 

Surgiu então um acto de emenda ao Santo Cristo de Outeiro, tendo o mesmo lugar a 3 de Maio desse mesmo ano de 1698.

 

Juntou-se em Outeiro uma grande multidão para participar na Eucaristia, seguindo-se uma novena de reparação.

 

Estiveram presentes os cónegos do Bispado de Miranda e doutores de Salamanca e Coimbra para autenticar o milagre.

 

Foi a partir daí que se resolveu lançar uma Confraria, começando por se tomar conta dos nomes de todos quantos quisessem pertencer à irmandade com esmolas e outras ofertas.

 

A devoção ao Santo Cristo de Outeiro aumentava de dia para dia, fazendo os fiéis romarias constantes à "Capela dos Milagres".

 

Foi tal o fluxo de romeiros, que se tornou necessário começar a pensar na construção de um Santuário com grandes dimensões, para onde deveria ser transferido o Crucifixo Milagroso para aí ser adorado e venerado pelos fiéis.

 

Fonte: http://aldeiaouteiro.blogspot.com

Fotos: 

https://www.visitportugal.com/pt-pt/content/basilica-santo-cristo-de-outeiro

http://www.rotaterrafria.com/pages/213/?geo_article_id=4762