Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As coisas de que eu gosto! e as outras...

Bem-vind' ao meu espaço! Sou uma colectora de momentos e saberes.

As coisas de que eu gosto! e as outras...

01.08.21

Vila Verde @ Lendas de Portugal, Lenda da Ponte de Prado

Miluem

Prado_II.jpg

 

Lenda da Ponte de Prado

 

A Ponte de Prado, que muito tem já de antiga, evoca célebres amores de um Rei Leonês com uma ilustre dama natural desta vila.


Ponte do PradoDepois de uma enorme cheia que quase havia destruído a ponte e verificando o monarca o mau estado da mesma, enviou imediatamente ordens para a sua reconstrução.


Consta desde então que o motivo que levara o rei Leonês, residente em Braga, a tomar tal atitude, fora o facto de ter obrigatoriamente de atravessar a ponte aquando das suas visitas à tão amada dama.

Pensa-se, no entanto, que os célebres amores de D. Branca Guterres com o monarca Leonês não são lendários, aconteceram mesmo, do que aliás nos dá notícia uma inscrição que apareceu numa pedra na referida vila.


Assim, o rei Leonês podia visitar D. Branca de dia ou de noite, acompanhado da sua polícia ou disfarçado em homem do povo, sem ter sequer de admitir que seus amores fossem prejudicados por uma ponte que causava pânico a quem sobre ela passava.

 

Fonte: http://www.cm-vilaverde.pt/web/cultura/tradicoes

Foto: https://en.wikipedia.org/

 

 

 

20.05.21

Meu Castelo Amado (Leiria) de Basílio Artur Pereira

O último Alcaide do Castelo de Leiria

Miluem

basilio-258x300.jpg

 

O Castelo de Leiria reabre ao público no próximo dia 22 de maio, o dia da cidade, depois de ter  estado encerrado nos 2 últimos anos para obras de requalificação e construção de 3 elevadores de acesso.

 

Esta é a minha pequena homenagem ao Sr. Basílio, o último Alcaide do Castelo.

 

Meu Castelo Amado

 

Meu castelo amado
Me viste nascer
Quanto amor te tenho
Me verás morrer

São pedras velhinhas
E de quantos anos
Meu castelo amado
De encantos tamanhos

Foram meus avós
Que anos te guardaram
Depois meus pais
Assim continuaram

E até quando
Eu te guardarei
Meu castelo amado
Não te esquecerei

 

In


As minhas lembranças
História do último Alcaide do Castelo de Leiria
por

Basílio Artur Pereira

 

Foto: Google

 

21.03.21

Exposição Virtual - 100 anos das Aparições de Fátima

Arquivo Nacional Torre do Tombo

Miluem
18.02.21

Mosteiro de Alcobaça @ Visitas Virtuais

Exposição online e visita

Miluem

 

800px-Mosteiro_de_Alcobaca_94b.jpg

Por Waugsberg - Fotografia própria, CC BY-SA 3.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=3932055

 

 

Para ver a exposição ou explorar o Mosteiro de Alcobaça,

p.f. clique nas imagens

 

Mosteiro_de_Alcobaça.jpg

 

Capela e Relicário Mosteiro Alcobaça.jpgClaustro Mosteiro Alcobaça.jpgSacristia Nova Mosteiro Alcobaça.jpgCapela do Desterro Mosteiro Alcobaça.jpg

Tumulo D Pedro D Ines Mosteiro Alcobaça.jpg

Sala Reis Mosteiro Alcobaça.jpg

Entrada Principal Mosteiro Alcobaça.jpg

Refeitorio Mosteiro Alcobaça.jpg

 

Fonte: Google Arts & Culture

https://artsandculture.google.com/partner/alcoba%C3%A7a-monastery

 

 

16.02.21

Salacia, Alcácer do Sal

Miluem

IMG_20210124_214734.jpg

IMG_20210124_215345.jpg

download

 

ThumbnailDownloader.jpeg

"Moeda de bronze com valor de Asse, cunhada em Salácia

 (Alcácer do Sal).

Anverso: Cabeça de Neptuno barbado, laureada, à direita.

Reverso: Dois golfinhos em movimentos opostos, e no centro a legenda latina: IMP.SAL. Salácia é citada por Plínio como Salacia Urbs Imperatoria. (Plínio: H.N. 4,116)."

Museu Nacional de Arqueologia

IMG_20210124_215212.jpg

ver em tamanho real

 

 

26.04.20

Caldas da Rainha @ Lendas de Portugal - História do Hospital Termal

Miluem

hospital_termal_1_1.jpg

 

 
A história de um Hospital Termal que dizem ser o primeiro do mundo…
 
 
 
Daí até a construção daquele que é considerado por muitos o primeiro Hospital Termal do mundo foi um pequeno passo, tendo D. Leonor custeado a construção do mesmo, iniciando os trabalhos em 1484.
 
 
A benemérita Rainha foi também responsável por redigir o respetivo regulamento que ficou conhecido por Compromisso da Rainha, publicado em 1512, onde se definia que a instituição serviria para apoiar gratuitamente os pobres e desfavorecidos do reino.
 
 
Nesse mesmo ano, o já referido D. Manuel I, irmão de Leonor, atribuiria o foral de vila a Caldas da Rainha que consagraria o rápido crescimento do local, a afirmação da sua importância e sobretudo a independência face ao concelho de Óbidos, ao qual pertencera até então com a denominação de Caldas de Óbidos.
 
 
Está visto que a nossa existência se deve à obra e generosidade de D. Leonor e por esse motivo para além do nome da cidade remeter para a génese desta ligação, muitas outras formas de homenagem e de agradecimento à rainha foram sendo promovidas ao longo dos séculos e alguns podem ser vistos e visitados.
 
 
Sendo o Hospital Termal o motivo da fundação da cidade e o principal legado de D. Leonor, como não podia deixar de ser a instituição usa o nome da rainha como designação oficial o mesmo se podendo destacar em relação ao largo onde o Hospital se encontra edificado e que também apresenta uma toponímia com o objetivo de homenagear a nossa fundadora.
 
 
Para além destes dois locais há ainda a “Rainha”, ponto central de todas as homenagens a D. Leonor e onde se encontra uma estátua da autoria de Francisco Franco inaugurada em 1935, representando a fundadora da cidade e que desde que ali foi colocada retirou a atenção à toponímia oficial do local que pretende homenagear o Conde de Fontalva, importante personalidade do início do século XX local e que passou para segundo plano desde que a “Rainha” foi “habitar” o seu largo.