Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As coisas que eu gosto! E as outras...

Este é o meu espaço, nele partilho as minhas fotos amadoras, as coisas que aprendi e vou aprendendo.

As coisas que eu gosto! E as outras...

Este é o meu espaço, nele partilho as minhas fotos amadoras, as coisas que aprendi e vou aprendendo.

06.12.19

desafio de escrita dos pássaros #13 - "Rascunhadeira" de 1/4 de tijela

Miluem

render-fita-de-filme-01.png

 

Nota Introdutória

Isto de pedir a uma "rascunhadeira" de 1/4 de tijela para reescrever o final dum filme, parece coisa do demo, mas não é!!!!!

Foram os pássaros

Vejam lá do que raio eles se foram lembrar para esta semana!

Para a semana que vem, pelo andar da coisa, deve ser ainda pior...

UntitledW.png

Então:

Tema  # 13   "Para  esta  semana,  o  tema  é:

  Reescreve  o  final  dum  filme"

69799557_103648321015674_4062285956680515584_n.png

 

A espera e os nervos estavam a angustiar João, olhou em volta, as paredes pareciam estar a aproximar-se... era uma ilusão de ótica, mas parecia tão real...

 

Dantes não era uma pessoa nervosa, na verdade, nem entendia as pessoas com essas doenças, achava que o verdadeiro problema delas era o facto de se acomodarem e não terem amor próprio e força de vontade para enfrentarem a vida.

 

Começou a divagar pela sua vida antes desta se ter tornado numa cadeia montanhosa, plena de picos e vales.

 

Recordou a vinda para a cidade para tirar o curso profissional, que lhe permitiu trabalhar e sustentar-se durante a frequência da universidade, as experiências, as pessoas e lugares que conheceu…


Sempre foi um lutador!

 

Quando saiu da universidade, arranjou um novo trabalho de imediato e na sua área, os conhecimentos adquiridos no curso profissional, postos em prática no trabalho anterior e consolidados na universidade, deram-lhe a vantagem de conhecer a teoria e a prática.

 

Trabalhou horas a fio, subiu na carreira, por vezes negligenciando a vida pessoal. Estava prestes a alcançar o patamar profissional que era seu por direito e competência, quando a saúde começou a ceder.

 

Começou a ter sintomas idênticos àqueles que sempre criticou e desvalorizou nos outros, até nos amigos, a sua incompreensão e ideias pré-concebidas levou ao afastamento de alguns!

 

Durante muito tempo rejeitou a doença, os outros estavam errados, não ele, não procurou ajuda atempada, até ao dia em que foi obrigado …

 

O Psiquiatra que o acompanha desde que que se viu obrigado a admitir que estava doente, entra e escuta-o atentamente, os medicamento estão a controlar o Síndrome de Burnout, está a reagir positivamente ao tratamento, nos dias mais complicados, já não se deixa ir abaixo como antes.

 

Sai do consultório mais tranquilo e esperançoso na recuperação e no futuro.

 

Enquanto espera o Metro, uma senhora idosa aproxima-se e começam a conversar sobre a vida, a conversa continua durante a viagem e saiem na mesma estação.

 

No dia seguinte no duche, depois da corrida matinal enquanto a água quente bate e desliza pelas costas, João volta a sentir-se feliz, já há muito tempo que não conhecia aquele sentimento.

 

A conversa com o Médico tinha-o deixado animado, mas as palavras daquela Senhora tinham-lhe dado uma nova perpectiva da vida.

 

Olha para o relógio, está atrasado!

 

São horas de ir trabalhar!

 

UntitledW.png

12 comentários

Comentar post