Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As coisas de que eu gosto! e as outras...

Bem-vind' ao meu espaço! Sou uma colectora de momentos e saberes.

As coisas de que eu gosto! e as outras...

18.01.22

Albergaria-a-Velha, Aveiro @ Lendas de Portugal - Lenda “A Terra do Anjo”

Miluem

trilho_das_cegonhas_.png

Lenda “A Terra do Anjo”

 

Sabe qual é a Terra do Anjo?

Não?

Vamos então conhecer esta tão famosa lenda.


Pela margem direita do Vouga, junto à cidade de Aveiro, há muitos anos, existia uma pequena aldeia de pescadores que trabalhava nas águas do rio.

Foi nesta comunidade que um homem, que nunca casara, vivia no sofrimento de não ter um filho a quem ensinar a sua arte e fosse sua companhia no fim da vida.

A lenda não nos indica nome, apenas que se tratava de uma pessoa extremamente devota a Nossa Senhora.

Assim, constantemente lhe dirigia orações, por entre as quais lhe pedia um filho.

Muitas vezes, desencantado com a falta de resposta de Nossa Senhora, que não ouvia a sua prece, dirigia as suas palavras ao rio.

628a09680a09cb8385c3bc5283b3d892.jpg

E uma manhã, levando o seu barco de um lado para o outro, o pescador viu uma caixotinha a boiar nas águas, e dentro dela chorava uma criança.

Doido de contentamento, agradeceu a Nossa Senhora, interrogando-a sobre o que ela queria em troca, naturalmente ela não lhe respondeu.

Assim, o rapaz foi crescendo, aprendendo a vida com o velho pescador, que arranjou outro ânimo para encarar a vida.

A felicidade da família era evidente!

Porém, a partir de determinada altura, uma nuvem cinzenta começou a pairar nos olhos límpidos do jovem rapaz.

É que ele queria saber como é que teria ido ali parar. Quem era a sua mãe? E seu pai?

A história do seu aparecimento nas águas, contada pelo velho pescador, não o consolava.

Ele queria ser como os outros, mas não conseguia.

Num esforço para desanuviar a existência do seu rapaz, o velho pescador do Vouga foi com ele à cidade e foi falar com um padre que tinha fama de muito sabedor.

No entanto há casos em que os saberes não servem para nada.

E ao padre apenas lhe valeu certa sabedoria no trato, mandando para casa os dois, recomendando-lhes que pensassem noutra coisa, referindo que muitas vezes são insondáveis os desígnios do Altíssimo…

Certo dia soltou-se uma epidemia que começou a dizimar a população das margens do Vouga.

O rapaz, mostrando a generosidade aprendida com o seu velho pai, atendeu aos doentes.

Porém, por desgraça, ele próprio foi apanhado pela terrível doença.

Prostrado no leito, a seu lado tinha o velho a lamentar-se de o ver naquele estado, que piorava em cada dia.

E o pai voltou-se de novo para Nossa Senhora, implorando-lhe que lhe salvasse o filho.

E à voz do “valei-me!”, entrou no quarto uma mulher envolta em neve, dizendo:

“Aqui estou”.

Era Nossa Senhora das Neves, dizendo que vinha buscar o rapaz para a sua corte de anjos.

Assim como o dera, o levava para um lugar de glória, reservando-lhe a função de anjo da guarda daquela terra.

E que terra é essa? Angeja.

pelourinho_de_angeja_1_1024_2500.jpg

 

Créditos:

Fonte:

https://turismodocentro.pt/artigo/lendas-historias-e-milagres-dos-rios-no-centro-de-portugal/

Fotos:

https://www.cm-albergaria.pt/municipio/noticias-do-municipio/noticia/albergaria-a-velha-tem-mais-dois-percursos-pedestres-homologados

https://www.pinterest.dk

https://www.cm-albergaria.pt/visitar/patrimonio-cultural/pelourinho-de-angeja

1 comentário

Comentar post