Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As coisas de que eu gosto! e as outras...

Bem-vind' ao meu espaço! Sou uma colectora de momentos e saberes.

As coisas de que eu gosto! e as outras...

25.02.22

««Tradições »» Jogo do anel

Miluem

passaanel.jpg

Jogo do anel

 

Em roda, escolhe-se um jogador para transportar o anel de mão em mão e deixar o anel na mão do jogador que quiser. 

No fim, pergunta a um jogador: 

“Onde está o anel?”

(não pode perguntar a quem tem o anel)

Se adivinhar, será esse jogador a distribuir o anel, se não será penalizado.( o castigo é escolhido por todos).

 

Créditos:

Fonte: https://www.brincacomigo.pt/jogos-tradicionais-para-fazer-em-familia/

Foto: https://aprenderabrincarfeliz.blogspot.com/2007/11/jogo-do-anel.html

24.02.22

Mogadouro, Bragança @ Lendas de Portugal - Lenda da Imagem de Nossa Senhora da Conceição

Miluem

mogadouro-17__Medium__1_1024_2500.jpg

Mogadouro - Lenda da Imagem de Nossa Senhora da Conceição

Na egreja do mosteiro d’esta villa, é tida em grande veneração, uma imagem de Nossa Senhora da Conceição.


Ha d’esta imagem a lenda seguinte.


Havia n’esta villa um clerigo, muito devoto da Santissima Virgem, que mandou fazer a um esculptor uma imagem de Nossa Senhora, para a collocar na egreja.

Era tão pobre o esculptor, que nem tinha dinheiro para comprar a madeira, para a imagem, sendo preciso dar-lh’a o clerigo.

Este foi vêr a imagem, quando estava apenas desbastada; mas achou-a tão mal principiada que disse ao artista que a não continuasse, por que a não queria.O esculptor encostou a imagem para um canto de sua casa, onde esteve por algum tempo, esquecida e abandonada. (Isto foi pelos annos de 1680.)

convento_s._francisco_1_980_2500.jpg

Sabendo isto os frades do mosteiro, foram alguns, por mera curiosidade, a casa do esculptor, vêr a imagem regeitada; mas não lhe achavam as imperfeições que o padre lhe attribuia (provavelmente por a vêr por acabar), e a pediram ao padre, para a mandarem concluir, ao que elle logo annuiu.

Era padroeiro do convento e residia na vida, o marquez de Tavora, a quem os frades foram pedir que mandasse acabar a imagem, ao que elle de boa vontade accedeu.

Concluiu-se a imagem, e ficou perfeitissima, tanto de esculptura como de pintura; e foi collocada com grande solemnidade no altar lateral, da parte do Evangelho.

 

Em 1696, todo o povo da villa decidiu fazer uma grande festa á Senhora, no dia 8 de dezembro d’esse anno.

Queriam estes devotos que a imagem apparecesse n’este dia com a sagrada custodia nas mãos, o que não era facil, porque a imagem estava com as mãos postas (como todas as imagens da Virgem, representando o augusto mysterio da sua Conceição).

Para conseguirem os seus fins, ataram a custodia com fitas; mas não foi preciso, por que a Senhora abriu as mãos, e segurou com ellas a custodia. Foi desde esse dia que a imagem ficou com as mãos abertas. Este milagre foi legalmente authenticado auctoritate ordinarii.

mogadouro.jpg

Fonte Biblio: PINHO LEAL, Augusto Soares d'Azevedo Barbosa de Portugal Antigo e Moderno Lisboa, Livraria Editora Tavares Cardoso & Irmão, 2006 [1873] , p.Tomo V, p. 356

Place of collection: Mogadouro, MOGADOURO, BRAGANÇA
Narrativa - When: XVII Century - Crença: Unsure / Uncommitted.

 

Fonte:

Ceao -Centro de Estudos Ataíde Oliveira.

Fotos:

https://noticiasdonordeste.pt

https://www.mogadouro.pt/pages/515?poi_id=13

http://www.rotaterrafria.com/pages/213/?geo_article_id=4772

22.02.22

Cernache do Bonjardim, Sertã, C. Branco @ Lendas de Portugal - Capela de Santa Maria Madalena e S. Macário

Miluem

DSC07898.JPG

Capela de Santa Maria Madalena e S. Macário

 

A capela que reúne os dois santos foi edificada por volta do ano 1581. Este pequeno templo foi substituído por um maior, construído por volta do ano 1920 (capela atual).

 

A construção da capela de São Macário e Santa Maria Madalena está associada a uma lenda:

 

"Reza a história que no lugar onde se encontra edificada a ermida, quase no topo da serra, existia a capela de S. Macário e mais junto ao povoado a de Santa Maria Madalena (Casal da Madalena). Devido a incêndios em ambas as capelas que se encontravam em ruínas, decidiu o povo edificar uma só capela, mais junto ao povoado (Cabeçada - C. Madalena), no sopé da serra, reunindo ambos os santos. As obras iniciaram-se, mas as ferramentas que serviam para o início da obra e que eram deixadas ao fim do dia junto à mesma, desapareciam todas as noites, sendo encontradas no dia seguinte no alto da serra, junto às ruínas da ermida de S. Macário. O facto repetiu-se por tantas vezes, que cansado e intrigado, o povo decidiu que a ermida fosse construída, bem lá no alto, no local onde, de manhã, se deparavam com as ferramentas. Reza ainda a lenda que, a razão de tal facto, é que S. Macário, não queria deixar de ver todos os dias pela manhã os outros seis irmãos (Nossa Senhora da Nazaré - Palhais; Santa Ana - Cumeada; Nossa Senhora dos Remédios - Sertã; Nossa Senhora da Confiança - Pedrógão Pequeno; Nossa Senhora da Graça - Graça e São Neutel - Figueiró dos Vinhos). Todas estas capelas foram construídas, segundo a lenda, em locais no cimo das serras ou montes elevados, de onde é possível os sete irmãos avistarem-se uns aos outros".

 

O certo é que do cimo da Serra de São Macário se avistam as seis capelas.

Outra curiosidade aliada a esta capela, e à romaria anual, é o facto de existir um antigo caminho pedonal que liga o local, onde era para ser edificada a capela (junto ao povoado de Cabeçada), e o cimo do monte.

Na zona envolvente, há vestígios de um castro datado do primeiro milénio a.C.

Coordenadas GPS: N 39º  47'56.97"  W 8º  13'36.59"

 

Créditos: 

Fonte: https://turismo.cm-serta.pt/turismopt/património-cultural/monumentos/cernache-do-bonjardim/capela-de-santa-maria-madalena-serra-de-são-macário

Foto: http://pedalarparadescontrair.blogspot.com/2014/03/capela-de-santa-maria-madalena-e-sao.html

21.02.22

Meses @ Lenga-lengas da cultura portuguesa

Miluem

calendário-português-segunda-feira-anual-simples

Meses

 

Janeiro, gear

Fevereiro, chover

Março, encanar

Abril, espigar

Maio, engradecer

Junho, ceifar

Julho, debulhar

Agosto, engravelar

Setembro, vindimar

Outubro, resolver

Novembro, semear

Dezembro, nascer

Nasceu um deus para nos salvar

 

Créditos:

Fonte: https://www.angelfire.com/80s/traquinas/Links/lengalengas.htm

Foto: https://pt.dreamstime.com

20.02.22

Porto de Mós, Leiria @ Lendas de Portugal - Lenda do Senhor do Alpendre em Tojal

Miluem

PDM4139.jpg

Lenda do Senhor do Alpendre em Tojal

 

“Conta-se que em tempos remotos andava um mendigo a pedia esmola no lugar do Tojal. Chegou a noite, o mendigo foi a uma casa e pediu se lhe davam dormida porque fazia muito frio, e não tinha onde se abrigar.

Uma família teve pena do pobrezinho e deu-lhe dormida num pequeno palheiro. Como fazia muito frio, deram-lhe uma manta para se tapar.

De manhãzinha, a dona do palheiro foi ver se o pobrezinho estava bem. Quando lá chegou não viu o pobrezinho, e qual não foi a surpresa quando viu lá estampada na parede a Imagem de Cristo Crucificado.

Correu boato por todos os lados, e todos diziam que aquele mendigo era Nosso Senhor, porque para pintar aquela Imagem, por muita habilidade que o mendigo tivesse, não conseguia fazer aquela Imagem numa noite. Tanto mais que não tinha luz para se alumiar.

PDM4142.jpg

A partir daí, o povo começou a ter muita devoção ao Cristo Crucificado na parede. Fizeram uma pequenina Capela e alumiavam a Imagem como ainda hoje fazem.

Com o correr dos tempos, o povo pensou em fazer uma Capela maior, mas a pequenina nunca foi modificada para não perder o estilo antigo.

E assim lá continua com muito zelo do povo, que por isso propuseram chamar-lhe, Imagem Senhor do Alpendre porque a cozinha tinha realmente um alpendre.

Também lhe chamam Senhor dos Aflitos, porque muitos devotos foram socorridos e continuam a sê-lo nas suas aflições. Pedem com fé e confiança naquele Senhor Crucificado, que ali foi gravado sem se saber como.

Numa noite em que lá pernoitou um mendigo que nunca mais foi visto.

Todos os anos fazem festa em honra do Senhor do Alpendre, ou dos Aflitos, como é chamado também. Todo o povo adere às festas, porque têm muita devoção.

Foram vistas pessoas de fora a cumprir promessas, como por exemplo, da Nazaré e outras terras.“

 

(Blog: Histórias por Contar)

 

Créditos:

Fonte:http://artederecordaravida.blogspot.com/2011/07/freguesia-de-sao-pedro.html?m=1

Fotos:https://www.allaboutportugal.pt/pt/porto-de-mos/religiao/cruzeiro-do-senhor-do-alpendre

19.02.22

Museus @ Portugal - Museu Convento dos Lóios

Santa Maria da Feira, Aveiro

Miluem

Museu-Convento.jpg

Museu Convento dos Lóios - https://cm-feira.pt/museuconventoloios

 

Espaço dedicado à História e ao Património, tem o propósito de salvaguarda, valorização e divulgação dos testemunhos e memórias da herança histórica e cultural do concelho e da região, promovendo diversas atividades de manifesto interesse ao entendimento da diversidade cultural regional e também nacional.

98_AD037563.jpg

Apresenta na exposição permanente núcleos de Arqueologia, História e Etnografia, onde explica a origem do Homem, a evolução e o desenvolvimento de um vasto território administrativo que outrora se designava por Terra de Santa Maria.

Criado como Biblioteca-Museu Municipal de Vila da Feira a 5 de fevereiro de 1938, foi inaugurado a 20 de janeiro de 1940.

Em 1992, desliga-se da biblioteca e é instalado no secular edifício do Convento dos Lóios.

Em 2000, é criada a Rede Municipal de Museus de Santa Maria da Feira e o Museu Municipal adquire uma nova dinâmica, como polo central da Rede, passando a designar-se Museu Convento dos Lóios.

 

Créditos:

Fonte: http://www.portoenorte.pt/pt/o-que-fazer/museu-convento-dos-loios/

Fotos:

https://radioavfm.net/museu-convento-dos-loios-recebe-as-escolas-de-santa-maria-da-feira-em-visitas-virtuais/

 http://pin.amp.pt/recurso/98