Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As coisas de que eu gosto! e as outras...

Bem Vind' ao meu espaço! Sou uma colectora de momentos e saberes.

As coisas de que eu gosto! e as outras...

21.02.21

Santa Cruz das Flores @ Lendas de Portugal - A Água da Igreja de Nossa Senhora de Lourdes

Miluem

83afdb81795f1881ad060e8df05776ea.jpg

A Água da Igreja de Nossa Senhora de Lourdes

 

Já no século vinte, o povo do lugar da Fazenda das Flores andava muito entusiasmado porque estava finalmente a realizar um sonho já velho: construir a sua igreja dedicada a Nossa Senhora de Lourdes.

 

Tinham escolhido um lugar alto e vistoso, de onde se podia espreitar quase todas as casas do lugarejo ou os terrenos verdes salpicados do azul das hortênsias na Primavera e Verão ou ainda ver o mar até ao horizonte distante.

 

Andavam todos muito cansados porque tinham de fazer os seus trabalhos nas terras e ajudar nas obras da igreja. Não havia água nas redondezas, o que dificultava ainda mais os trabalhos.

 

Enquanto os homens iam levantando as paredes com os mestres, as mulheres e as crianças faziam grandes cortejos e partiam de latas e potes à cabeça para a Ribeira de Além.

 

De lá traziam, com grande sacrifício, a água que os homens precisavam para ir fazendo a argamassa. Várias vezes durante a viagem, debaixo de um calor intenso, as mulheres pediram a Nossa Senhora de Lourdes que lhes deparasse água.

 

Uma certa noite, enquanto todos dormiam profundamente e descansavam de um dia de muito trabalho, a água brotou e começou a correr com abundância ao pé do lugar onde estavam a levantar as paredes da igreja.

 

De manhã, ao chegarem, os trabalhadores ficaram maravilhados com o que tinha acontecido e as pessoas da Fazenda, animados na sua Fé, trabalharam ainda com mais vontade, até que por fim a nova e linda igreja abriu ao culto.

 

A água continuou a correr numa fonte debaixo da sacristia da igreja de Nossa Senhora de Lourdes.

 

Os florenses começaram a sentir uma veneração muito especial por esta água fresca e cristalina que curou muitas doenças às pessoas, algumas vindas de freguesias distantes só para beber a milagrosa água de Nossa Senhora de Lourdes.

 

 

Fonte:  Biblio FURTADO-BRUM, Ângela Açores: Lendas e outras histórias Ponta Delgada, Ribeiro & Caravana editores, 1999 , p.277

Place of Collection: Santa Cruz Das Flores, SANTA CRUZ DAS FLORES, ILHA DAS FLORES (AÇORES)

Narrativa - When: XX Century, 90s - Crença: Unsure / Uncommitted

CeAO - Centro de Estudos Ataíde Oliveira

Foto: Pintrest

 

21.02.21

A Vinca

Miluem

IMG_20210212_201716.jpg

Esta flor está num jardim público por onde passei, não sabia o nome por isso fui pesquisar.

Então chama-se "Vinca" o sobrenome é que está mais complicado.

Passo a explicar, pertence à família das "Apocynaceae" (do lado da mãe) do lado do pai pode ser da família "difformis", "major" ou "minor"

 

Os nomes comuns e descrição da planta:

 

"Vinca" "major e minor"

congoça, congonha,

congossa, congoxa, 

pervinca.

 

É uma planta arbustiva de caules rastejantes. A floração da "major" ocorre de Março a Junho e a da "minor" entre Março e Maio.

 

"Vinca difformis"

Erva-da-inveja, pervinca,

congorsa, congossa,

alcangorça, alcongosta,

erva-congorça, erva-concorça,

salva-da-inveja.

 

Planta que se estende pelo solo com longas ramadas, floresce entre o Inverno e a Primavera.

 

Acho que esta é uma Vinca difformis estamos em Fevereiro e já está em flor... também pode estar adiantada...