Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As coisas de que eu gosto! e as outras...

Bem Vind' ao meu espaço! Sou uma colectora de momentos e saberes.

As coisas de que eu gosto! e as outras...

10.01.21

Coisas, Pequenas Coisas de Fernando Namora

Miluem

15383562namora-1024x687.jpg

Coisas, Pequenas Coisas

 

Fazer das coisas fracas um poema.

 

Uma árvore está quieta,

murcha, desprezada.

Mas se o poeta a levanta pelos cabelos

e lhe sopra os dedos,

ela volta a empertigar-se, renovada.

E tu, que não sabias o segredo,

perdes a vaidade.

Fora de ti há o mundo

e nele há tudo

que em ti não cabe.

 

Homem, até o barro tem poesia!

Olha as coisas com humildade.

 

Fernando Namora

 

Fonte: https://www.nossapoesia.com

Foto: https://visao.sapo.pt

 

10.01.21

Maceira, Leiria @ Lendas de Portugal - A Fonte da Barroquinha

Miluem

DSC02380.JPG

A Fonte da Barroquinha

 

 

 

Era uma vez ...em dia já muito recuado na lonjura dos tempos, em pleno verão escaldante, o rei passava com a sua corte ali junto a Maceira.

 

O rei sentia os ardores da sede.

 

Ao passar roçando uma rocha, o poderoso rei, sem poder parara para matar a grande sede que o atormentava, gritou em desespero e tom eivado de maldição, para os seus acompanhantes:


          "Maldito cavalo que não escoicinha esta rocha até fazer água a fartar."

 

Palavras não eram ditas e o cavalo real, como se tivesse compreendido a fala irada do seu dono, dá uma forte parelha de coices na rocha que fez estremecer céu e terra.

 

A escoicinhadela foi tão violenta que o rei teve de se amparar com a sua espada na rocha, no mesmo sítio onde o cavalo do rei escoiçara. Mas a espada, de fraca resistência, encontrou e furou a rocha, e, do furo aberto, jorrou água abundante e fresquinha que dessedentou o rei e toda a sua comitiva.

 

O povo vendo aquela fartura de água tão fresca, onde sempre tudo fora secura, começou a escavar na parte mais baixa da rocha e ali abriu uma pequena barroca, por onde começou o jorramento do precioso líquido refrescante, que nunca mais findou e ainda hoje continua correndo onde se levantou mais tarde, a chamada Fonte da Barroquinha.

 

(in Anais do Município de Leiria, João Cabral)

 

Foto: http://sopensonisso.blogspot.com/2011/02/senhora-da-barroquinha.html