Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As coisas de que eu gosto! e as outras...

Bem Vind' ao meu espaço! Sou uma colectora de momentos e saberes.

As coisas de que eu gosto! e as outras...

02.01.21

Quadras Populares Transmontanas - Sei um saco de cantigas

Miluem

livro.jpg

Sei um saco de cantigas,

Ainda mais um guardanapo.

Quem quer vir ao desafio,

Venha, que eu desato o saco

 

Cantigas ao desafio,

Comigo ninguém as cante.

Tenho quem mas ensine;

O meu amor é estudante

 

O meu amor e o teu,

Andam ambos na ribeira.

O meu, anda à erva cidra,

O teu, à erva-cidreira.

 

Não olhes para mim, não olhes,

Que eu não sou o teu amor.

Eu não sou como a figueira,

Que dá fruto sem dar flor.

 

Aqui estou à tua porta.

Como um feixe de lenha!

A espera da resposta,

Que da tua boca me venha.

 

MaIo haja o grão-de-bico,

E mais o feijão guisado.

MaIo hajam esses olhos,

Que tanto são do meu agrado!

 

Tenho na minha janela

Tulipas até ao chão.

Quando te vejo falar com outra,

São facadas que me dão.

 

Não me namora teu ouro,

Nem os brincos das orelhas.

Namoram-me esses teus olhos,

Por baixo das sobrancelhas.

 

Lá te mandei um raminho

De cravos e cravelinas,

Por não te poder mandar

Dos meus olhos as meninas

 

Tenho dentro do meu peito

Um ramo de violetas

O dia que te não vejo,

De roxas, tornam-se pretas.

 

Andorinha que esvoaças,

Tem cuidado no subir.

Quem ao mais alto sobe,

Ao mais baixo vem cair.

 

Uma mãe que o filho embala

As vezes, põe-se a chorar,

Só por não saber a sorte

Que Deus tem para lhe dar.

 

RECOLHA (1985) de Branca do Sacramento Rodrigues, Sambade

Alfândega da Fé.

 

 

Fonte: Cancioneiro Transmontano 2005

Santa Casa da Misericórdia de Bragança

 

Foto: http://afinidadescomunicativas.blogspot.com/2006/03/livro-infantil-lanado-em-barcelos.html

 

02.01.21

««Tradições »» Em janeiro ...

Miluem

IMG_20210102_141723.jpg

Em janeiro vês o ano inteiro

 

É uma tradição muito antiga observar o tempo que faz nos primeiros dias do ano.

 

Hoje na pesquisa, para usar os termos corretos, vi que há 2 versões. Aqui na minha zona, ouvi sempre a 1a.

Os primeiros 12 dias determinam o tempo, os segundos 12 confirmam o tempo ou indicam tempo incerto.

 

 

"(...) os doze primeiros dias de Janeiro indicam, imitam, arremedam os doze meses do ano que acabou de nascer

(...)

“desarremedas”! Estas seguem fielmente a lógica das suas congéneres e vão de 13 a 24 de Janeiro (...)"

 

 

" (...) Os nossos avós recorriam ao mês de Janeiro para fazer o seu boletim meteorológico.

Diziam eles que; “ em Janeiro vês o tempo do ano inteiro". A fórmula é bastante simples:-

- Aos primeiros doze dias não se liga, dizem eles que são as “arremedas”,

- Entre o 13º e o 24º dias está todo o ano, são as “ desarremedas”.

Bastava por isso associar a cada dia um mês do ano.

Temos assim que ao dia 13 corresponde o mês de Janeiro, ao 14 o mês de Fevereiro, ao 15 o mês de Março,… e ao dia 24 o mês de Dezembro.

Se o dia 13 for chuvoso então Janeiro será chuvoso, de o dia 14 começar com chuva e terminar sem chuva assim será o mês de Fevereiro,…

Em caso de grandes duvidas recorriam às arremedas para confirmar o tempo que irá acontecer. (...)"

 

 

https://lux24.lu/opiniao/arremedas-desarremedas-e-o-borda-dagua/

https://filhodocouco.blogs.sapo.pt/58666.html

https://www.ipma.pt/pt/otempo/obs.remote/index.jsp