Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As coisas de que eu gosto! e as outras...

Bem Vind' ao meu espaço! Sou uma colectora de momentos e saberes, gosto de os partilhar por imagens e ou palavras.

As coisas de que eu gosto! e as outras...

08.02.20

Quem foi Artur Loureiro?

Miluem

IMG_20191102_101028_1581112421413.png

Artur Loureiro, Mestre Pintor

 

Encontrei a homenagem quis saber quem era o homenagiado e procurei a sua história e obra.

 

Wikipédia: Auto-Retrado de Artur Loureiro

 

Artur José de Sousa Loureiro nasceu na Rua do Bonjardim, no Porto, a 11 de Fevereiro de 1853. Era filho de Francisco José de Sousa Loureiro e de Guilhermina Luísa Soares Ribeiro e irmão do Urbano José de Sousa Loureiro, jornalista e escritor.

 

Começou a estudar desenho e pintura com o mestre e amigo António José da Costa, tendo depois ingressado na Academia Portuense de Belas Artes, onde continuou a sua aprendizagem com João António Correia.

 

Em 1873 concorreu ao pensionato em Paris, do qual viria a desistir em favor de Silva Porto. Em 1875 voltou a concorrer a pensionista, desta vez para Roma, rivalizando com Malhoa e ficando empatado com o seu oponente. A prova foi anulada, mas Artur manteve a viagem com o patrocínio de Delfim Guedes, futuro conde de Almedina, seu patrono. Na capital romana ingressou no Círculo Artístico, em 1876.

loureiro---campina-romana-fit-555x300-6.jpgCampina romana , 1878 - Artur Loureiro

Em 1879 o artista voltou a candidatar-se a bolseiro em Paris, juntamente com Columbano, ficando classificado em primeiro lugar. Na capital francesa viveu no Quartier Latin e frequentou a École des Beaux-Artes, onde foi discípulo de Cabanel.


Durante este período expôs no Salon parisiense (de 1880 a 1882), ao lado de artistas como Marques de Oliveira, Silva Porto, António Ramalho, Sousa Pinto, Columbano e João Vaz, e na Galeria Goulpil, em Londres. Teve tempo para se apaixonar, ligando-se sentimentalmente a uma australiana, Marie Huybers, que retratou no quadro O Descanso do Artista e com quem veio a casar e ter filhos, um rapaz e uma rapariga.

loureiro---o-repouso-da-artista-fit-555x372-6.jpgO repouso da artista , 1882 - Artur Loureiro

 

 

The Spirit of the New Moon de Artur Loureiro (1888)

 

Em 1884, fisicamente debilitado, emigrou para a Austrália, fixando-se em Melbourne. Nesse lado do mundo, integrou, com outros 8 artistas, a Australian Art Association (1885) que, depois, se fundiu com a Victorian Artist’s Society (1888); lecionou Desenho na Presbyterian Ladies Academy; vendeu obras aos endinheirados patronos locais; recebeu prémios; integrou júris; foi Inspector da Galeria Nacional da Cidade de Vitória e teve dois seguidores: Constable e Mrs. Melba.


A sua obra teve reconhecimento internacional. Ficaram famosos os quadros A Visão de Santo Estanislau de Kostka, que obteve a Medalha de Ouro da Galeria Nacional; a obra Os Tigres, que, em Londres, alcançou uma Medalha de Ouro e foi adquirida pela Galeria Sanderston; o retrato de Alderman Stewart da Câmara de Melbourne; os painéis decorativos de uma casa particular, intitulados As Quatro Estações, Íris e A Cruz do Sol; o Santo António da Catedral de Melbourne; e A Morte de Burke que, em 1889, recebeu a Medalha de Ouro na Exposição Internacional de Londres.

loureiro--anvers-sur-oise-fit-555x447-6.jpgPaisagem (Auvers-sur-Oise) , c. 1883 - Artur Loureiro

 

No início do século XX regressou em definitivo ao Porto, empenhando-se no fomento das artes. Na sua cidade natal montou, então, um atelier-escola, numa ala do já desaparecido Palácio de Cristal, o qual se tornou um espaço de referência, procurado por aspirantes a artistas e admiradores do pintor. Aí ensinou, pintou e expôs.


Nesta fase, expôs na Sociedade Nacional de Belas Artes, em Lisboa (1920), na Galeria da Misericórdia do Porto (1923) e no Salão Silva Porto (1929), na cidade Invicta. Um auto-retrato do pintor apresentado neste último certame foi comprado pelo prestigiado Museu dos Uffizi, de Florença.


Em 1932 tornou-se membro da Ordem de Santiago.

loureiro---cena-rustica-brolles-fit-555x381-6.jpgCena rústica (Brolles) , 1882 - Artur Loureiro

 

 

An Autumm morning de Artur Loureiro (1893)

Morreu em Terras de Bouro, a 7 de Julho de 1932, local para onde se deslocara com o intuito de pintar. Antes dessa data já haviam falecido a sua primeira mulher e o seu único filho, este último vítima da I Guerra Mundial. Sobreviveu-lhe a segunda mulher, Elisa Fernanda de Sousa Pires, com quem casara a 19 de Junho de 1918.


Em 1953 comemorou-se o centenário do nascimento deste grande pintor naturalista, especializado na paisagem, na figuração animalista e no retrato.


Obras suas integram o espólio de museus portugueses e estrangeiros como o Museu de Évora, o Museu do Chiado, em Lisboa, o Museu Nacional de Soares dos Reis, no Porto, o Museu Grão Vasco, em Viseu, a Galeria de Sanderstan e a Galeria Nacional de Melbourne.


(Universidade Digital / Gestão de Informação, 2009)

Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado -- Biografia e algumas obras - http://www.museuartecontemporanea.gov.pt/pt/artistas/ver/18/artists

Universidade do Porto - Antigos Estudantes Ilustres da Universidade do Porto  -- Artur Loureiro - https://sigarra.up.pt/up/pt/web_base.gera_pagina?p_pagina=antigos%20estudantes%20ilustres%20-%20artur%20loureiro

 

1799844_0.jpg

Artur Loureiro  - "O Pão Político" 1924

 

IMG_20191127_151806.jpg

IMG_20191127_151820.jpg

IMG_20191127_152114.jpg

IMG_20191127_152210.jpg

IMG_20191127_152333.jpg

http://hemerotecadigital.cm-lisboa.pt/