Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As coisas que eu gosto! E as outras...

Este é o meu espaço, nele partilho as minhas fotos amadoras, as coisas que aprendi e vou aprendendo.

As coisas que eu gosto! E as outras...

Este é o meu espaço, nele partilho as minhas fotos amadoras, as coisas que aprendi e vou aprendendo.

31.08.19

Ditos e Ditados Populares @ CVI

Miluem

IMG_20190810_205835.jpg

IMG_20190810_204640.jpg

IMG_20190723_210956.jpg

 

 

500 provérbios portugueses antigos - Educação moral, mentalidade e linguagem - de Jean Lauand

 

Estudo e recolha com base no Livro de provérbios de Antonio Delicado

 

Na Biblioteca Municipal Mário de Andrade (São Paulo, Brasil), encontra-se uma raridade: um exemplar original do livro do lecenciado prior Antonio Delicado, Adagios portuguezes reduzidos a lugares communs, Lisboa, Officina de Domingos Lopes Rosa, 1651.

 

 

30.08.19

Abrantes @ Lendas de Portugal - A Oliveira do Francês

Miluem

800px-Olea_europaea_subsp_europaeaOliveTree.jpg

Foto: Wikipédia

 

 


A Oliveira do Francês

 

Num local a que chamam Pintos, na freguesia de Mouriscas, existe uma oliveira a que as pessoas chamam a oliveira do francês.

 

Fomos saber a origem deste nome e encontrámos duas versões da mesma história.

 

 

Diz-nos o senhor Augusto de Matos Roldão, residente em Ferrarias:

 

    — Quando por aqui passaram as Invasões Francesas, um grupo de homens valentes mataram ali perto um soldado francês e enterraram-no debaixo da oliveira. Daí ficou o nome oliveira do francês.

 

    Mas já o senhor Eduardo F. Correia, residente no Tojal, nos diz:

 

    — Debaixo dessa oliveira estão enterrados sete franceses, mortos na altura das Invasões Francesas.

 

A história é contada; um ou sete franceses não interessa, a oliveira do francês existe, para lembrar aos mais novos que as Invasões Francesas passaram por aqui.


Fonte Biblio: JANA, Isilda Histórias à Lareira Abrantes, Palha de Abrantes, 1997 , p.63
Ano: 1991
Place of collection: Mouriscas, ABRANTES, SANTARÉM
Colector: Anabela Crispim (F)
Narrativa
When: XIX Century,
Crença: Unsure / Uncommitted

30.08.19

Ditos e Ditados Populares @ CV

Miluem

IMG_20190810_204451.jpg

IMG_20190805_120044.jpg

IMG_20190730_203713.jpg

 

 

500 provérbios portugueses antigos - Educação moral, mentalidade e linguagem - de Jean Lauand

 

Estudo e recolha com base no Livro de provérbios de Antonio Delicado

 

Na Biblioteca Municipal Mário de Andrade (São Paulo-Brasil), encontra-se uma raridade: um exemplar original do livro do lecenciado prior Antonio Delicado, Adagios portuguezes reduzidos a lugares communs, Lisboa, Officina de Domingos Lopes Rosa, 1651.

 

 

28.08.19

Ditos e Ditados Populares @ CIV

Miluem

IMG_20190810_205251.jpg

IMG_20190730_203334.jpg

IMG_20190730_202521.jpg

 

 

500 provérbios portugueses antigos - Educação moral, mentalidade e linguagem - de Jean Lauand

 

Estudo e recolha com base no Livro de provérbios de Antonio Delicado

 

Na Biblioteca Municipal Mário de Andrade (São Paulo-Brasil), encontra-se uma raridade: um exemplar original do livro do lecenciado prior Antonio Delicado, Adagios portuguezes reduzidos a lugares communs, Lisboa, Officina de Domingos Lopes Rosa, 1651.

 

 

28.08.19

Fátima @ Lendas de Portugal

Miluem

IMG_20190522_130611_HDR.jpg

 

Lenda

 

 

O nome Fátima está fortemente ligado à religião.

 

Foi em 1917 que naquela aldeia apareceu uma mulher de branco a três crianças que pastavam ovelhas.

 

As aparições repetir-se-iam todos os dias 13, até outubro daquele ano.

 

Desde essa altura que Fátima é, para muitos, cidade das aparições, de devoções e de forte crença religiosa. 

 

Mas o nome Fátima, é mais antigo.

 

Para conhecer a origem do nome, temos de recuar vários séculos. 

 

O nome Fátima, remonta ao século XII, por altura da Reconquista e de D. Afonso Henriques.

 

Conta a lenda que Gonçalo Hermingues, o “Traga-Mouros”, e uma princesa moura, de nome Fátima, se apaixonaram.

 

Uma paixão proibida naquele tempo.

 

Numa noite de conquistas, o "Traga-Mouros” raptou a princesa, e com ela foi viver para as terras, que ficaram conhecidas como “terra de Fátima” (atualmente Fátima).

 

A princesa converteu-se ao Cristianismo e adotou o nome Oureana.

 

Como prenda de casamento, o rei deu-lhes as terras de Abdegas, que ficaram conhecidas como “terra de Oureana” (atualmente Ourém). 

 


Fonte -->  https://www.infatima.pt/pt/fatima/conhecer/lenda/

 

 

Pág. 1/14